Manaus, 29 de fevereiro de 2024

Como é a rotina de um prático no dia a dia?

Os portos são importantes centros de comércio e transporte de mercadorias, por isso é crucial ter uma operação segura e eficiente de navios que atracam nesses locais. Para isso, é fundamental a presença de um profissional especializado, o prático, que é responsável por orientar a manobra dos navios, levando em consideração as condições climáticas, hidrográficas e de tráfego marítimo.

O que faz um prático?

O prático é um profissional altamente capacitado que tem como função orientar os comandantes dos navios na condução da embarcação em áreas restritas, como portos e canais. Ele é responsável por avaliar as condições de segurança, a profundidade e as correntes da região, bem como coordenar a manobra do navio.

Além disso, o prático também é responsável por manter uma boa comunicação com o comandante do navio e com a equipe de bordo, informando sobre as condições de navegação e as possíveis dificuldades que podem surgir durante a manobra.

Como é a rotina de um prático?

A rotina de um prático pode variar bastante, dependendo da região em que ele trabalha e das características do porto ou canal em que atua. No entanto, podemos elencar algumas atividades que são comuns na rotina de um prático.

Planejamento da manobra

Antes de cada manobra, o prático realiza um planejamento detalhado da operação, levando em consideração as condições climáticas, hidrográficas e de tráfego marítimo. Ele avalia a profundidade da área de navegação, as correntes e os obstáculos que podem dificultar a manobra.

Para isso, o prático tem que estar sempre atualizado sobre as condições marítimas da região onde atua. Ele deve monitorar a previsão do tempo, a maré e outras informações que possam afetar a navegação. Com base nesses dados, o prático elabora um plano de manobra que permita conduzir o navio com segurança até o destino.

Embarque no navio

O prático embarca no navio alguns quilômetros antes de chegar ao porto ou canal. Ele é transportado por meio de embarcações menores, conhecidas como lanchas de prático. Durante o trajeto, o prático já começa a avaliar as condições de navegação e a se comunicar com o comandante do navio.

Esse momento é crucial para o prático, pois ele precisa se familiarizar com a embarcação e com o tipo de carga que está sendo transportada. É importante que ele saiba as características do navio, como o tamanho, a velocidade e a manobrabilidade, para que possa orientar o comandante da melhor forma possível.

Orientação na manobra

Ao chegar ao porto ou canal, o prático assume o comando da manobra. Ele orienta o comandante do navio sobre a velocidade, a direção e a aceleração que devem ser adotadas durante a manobra, levando em consideração as condições da região.

Durante a manobra, o prático precisa estar atento a diversos fatores, como a profundidade e a largura do canal, a força e a direção das correntes, a visibilidade e a presença de outros navios na região. Ele deve ser capaz de tomar decisões rápidas e precisas para garantir a segurança da navegação.

Desembarque do navio

Após a manobra, o prático desembarca do navio e retorna à estação de prático. Lá, ele realiza os procedimentos de registro da manobra e faz um relatório detalhado sobre as condições de navegação na região.

Esse relatório é importante para que outros profissionais que atuam na área, como os pilotos de barra e os operadores portuários, possam ter acesso às informações sobre as condições de navegação. Dessa forma, é possível melhorar a segurança e a eficiência dos serviços portuários.

Atividades adicionais

Além das atividades já mencionadas, o prático também tem outras tarefas em sua rotina. Ele deve estar sempre atualizado sobre as normas e regulamentos de navegação, bem como sobre as características dos navios que atracam na região em que atua.

O prático também pode ser chamado para prestar atendimento de emergência em caso de acidentes ou situações críticas envolvendo navios. Nesses casos, ele deve estar preparado para agir de forma rápida e eficiente para minimizar os danos e garantir a segurança das pessoas e do meio ambiente.

Como se tornar um prático?

Para se tornar um prático, é necessário ter formação em ciências náuticas e ser aprovado em um processo seletivo que envolve testes teóricos, práticos e psicológicos. O processo seletivo também pode incluir entrevistas e avaliações de desempenho.

Após a aprovação no processo seletivo, o prático deve passar por um período de treinamento supervisionado, antes de poder atuar de forma autônoma. É importante destacar que a profissão de prático é regulamentada pela Lei nº 9.537/1997, que estabelece as competências e obrigações dos profissionais da área.

Conclusão

A rotina de um prático é bastante desafiadora e exige muita habilidade e conhecimento técnico. Ele é responsável por garantir a segurança da navegação em portos e canais, orientando os comandantes dos navios sobre as melhores práticas de manobra. Para isso, o prático precisa estar sempre atualizado sobre as condições de navegação da região onde atua e ser capaz de tomar decisões rápidas e precisas durante a manobra.

Esperamos que este texto tenha ajudado a entender melhor como é a rotina de um prático no dia a dia e como se tornar um profissional dessa área.

Referências bibliográficas

Iniciar Chat
Precisa de ajuda?
Olá,
Bem vindo a Praticagem de Manaus, em que podemos ajudar?