Manaus, 19 de maio de 2024

O papel dos práticos na segurança da navegação e prevenção de acidentes

Os práticos são profissionais especializados em navegação que prestam serviços de assessoria e orientação aos comandantes de navios durante manobras em portos e canais. Eles são fundamentais para garantir a segurança da navegação e prevenir acidentes, atuando como uma ponte entre o conhecimento técnico e as condições locais.

A função dos práticos é garantir que os navios sejam conduzidos com segurança pelos canais de navegação e portos, evitando colisões, encalhes e outros incidentes que podem causar danos materiais e ambientais, além de colocar em risco a vida dos tripulantes e pessoas que trabalham nas áreas portuárias.

Os práticos são responsáveis por avaliar as condições de navegabilidade em cada área, levando em consideração fatores como profundidade, correnteza, vento, marés e condições meteorológicas. Com base nessas informações, eles orientam os comandantes sobre as manobras mais adequadas para cada situação, garantindo que o navio chegue ao seu destino com segurança e eficiência.

No Brasil, a atividade de praticagem é regulamentada pela Lei nº 9.537/1997, que estabelece critérios para a formação e atuação dos práticos. De acordo com a legislação, a função de prático só pode ser exercida por profissionais habilitados e registrados na autoridade marítima, que devem cumprir uma série de requisitos técnicos e de experiência.

A importância dos práticos na segurança da navegação é reconhecida internacionalmente. A Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês) recomenda que a utilização de práticos seja incentivada em todo o mundo, como forma de reduzir os riscos de acidentes e garantir a segurança dos navios e das pessoas envolvidas nas operações portuárias.

Em alguns países, como os Estados Unidos, a utilização de práticos é obrigatória em determinadas áreas e para navios com determinado porte. Essa medida tem como objetivo garantir que os navios sejam conduzidos por profissionais habilitados e experientes, que conheçam bem as peculiaridades de cada área e possam garantir a segurança da navegação.

No Brasil, a utilização de práticos é obrigatória em algumas áreas de navegação, como no caso da Barra de Santos, um dos principais portos do país. A medida é fundamental para garantir a segurança das operações portuárias e evitar acidentes como o que ocorreu em 2015, quando um navio colidiu com um píer em Santos, causando a morte de uma pessoa e prejuízos materiais.

Além disso, a utilização de práticos também pode trazer benefícios econômicos, uma vez que garante a eficiência das operações portuárias e reduz os riscos de atrasos e prejuízos. Estudos realizados em países como os Estados Unidos e a Austrália mostram que a utilização de práticos pode contribuir para a redução dos custos de seguro e para o aumento da competitividade dos portos.

A presença de práticos na navegação é importante não apenas em áreas de grande movimentação, mas também em regiões mais remotas e em rotas de navegação menos frequentes. Isso porque as condições locais podem ser desconhecidas pelos comandantes dos navios, o que aumenta os riscos de acidentes e coloca em risco a vida dos tripulantes e as operações portuárias.

Um exemplo recente de como a falta de práticos pode causar acidentes foi o caso do navio Ever Given, que encalhou no Canal de Suez em março de 2021. Segundo especialistas, a falta de práticos na região pode ter contribuído para o acidente, que afetou o comércio mundial e causou prejuízos milionários.

Além de avaliar as condições locais e orientar os comandantes, os práticos também podem atuar na prevenção de acidentes por meio da análise de dados e informações sobre incidentes anteriores. Com base nesses dados, é possível identificar padrões e tendências de risco, o que permite a implementação de medidas preventivas e aprimoramento das práticas de segurança.

A utilização de tecnologias como sistemas de monitoramento e simulação de manobras também pode contribuir para aprimorar a atuação dos práticos e aumentar a segurança da navegação. Essas ferramentas permitem a análise mais precisa das condições locais e a realização de simulações de manobras em tempo real, o que pode ajudar os práticos a identificar possíveis riscos e tomar decisões mais seguras.

Em resumo, os práticos desempenham um papel fundamental na segurança da navegação e na prevenção de acidentes, garantindo que os navios sejam conduzidos com segurança e eficiência pelos canais de navegação e portos. A utilização de práticos é regulamentada por lei e reconhecida internacionalmente como uma medida essencial para garantir a segurança das operações portuárias e reduzir os riscos de acidentes.

Referências Bibliográficas

  • Lei nº 9.537/1997
  • International Maritime Organization (IMO)
  • American Pilots’ Association
  • Australian Maritime Safety Authority
Iniciar Chat
Precisa de ajuda?
Olá,
Bem vindo a Praticagem de Manaus, em que podemos ajudar?